438 – Limpando a lista

img-438Sempre que um ano começa, fazemos nossos planos, nossas faxinas, renovamos nossos compromissos e deixamos muita coisa para trás. Mas às vezes, algumas dessas coisas ficam para trás independente de nossa vontade. Como quando pessoas que amamos se vão. E daí, hein? Vamos começar o ano com uma reflexão sobre a importância de nosso legado? Na trilha sonora tem Rhaissa Bittar, Clara Sverner, Baden Powell e Gedeão da Viola com João Pedro.

Apresentação de Luciano Pires. O texto desse programa, com poesias e letras das músicas pode ser encontrado no PORTAL CAFÉ BRASIL, publicado em http://www.podcastcafebrasil.com.br

437 – Crônica para Charlie Hebdo

charlie-hebdoE o ano de 2015 começa de um jeito sombrio. No dia 7 de janeiro três terroristas invadem a redação de um jornal em Paris e fuzilam jornalistas, como uma reação às piadas que o jornal publicava sobre o islamismo. Mais uma vez o fanatismo calando quem pensa diferente, pela violência. É nessa praia que vamos hoje, com trilha sonora de Nicolas Krassik e os Cordestinos, diversas versões do hino da França, La Marseillaise e… os Beatles.

Apresentação de Luciano Pires. O texto desse programa, com poesias e letras das músicas pode ser encontrado no PORTAL CAFÉ BRASIL, publicado em http://www.podcastcafebrasil.com.br

436 – The Dark Side Of The Moon

dark-side-of-the-moonEste é outro daqueles programas de sonho, daqueles que a gente diz: um dia vou fazer. Um podcast que vai direto para a lista dos clássicos! Largue o que você está fazendo, pegue um copo de uísque, de vodka, de vinho, sei lá… Certifique-se de não ser interrompido. Prepare-se para uma viagem inesquecível para o lado escuro da lua… Na trilha sonora temos Scott Mackenzie, Floyd Council, Pink Anderson e, é claro, Pink Floyd.

Apresentação de Luciano Pires. O texto desse programa, com poesias e letras das músicas pode ser encontrado no PORTAL CAFÉ BRASIL, publicado em http://www.podcastcafebrasil.com.br

435 – O ouvinte fala

ioda-listeningPrograma de Natal, de fim de ano, né? Então vou com um a homenagem àquela pessoa tão importante para que este podcast exista: o ouvinte. Este programa foi feito por você! Na trilha sonora com moda de viola tem Rodrigo Delage, Violeiro Bugre, Índio Cachoeira e Ivan Vilela. Apresentação de Luciano Pires.

Apresentação de Luciano Pires. O texto desse programa, com poesias e letras das músicas pode ser encontrado no PORTAL CAFÉ BRASIL, publicado em http://www.podcastcafebrasil.com.br

434 – O bom dinheiro

img-434Vamos falar de novo de dinheiro? Grana? Bufunfa? Aquela coisa atrás da qual quase todo mundo corre, mas que ainda tem gente que odeia? Afinal, dinheiro é do bem ou do mal? Na trilha, Paulinho Moska e Tim Maia.

Apresentação de Luciano Pires. O texto desse programa, com poesias e letras das músicas pode ser encontrado no PORTAL CAFÉ BRASIL, publicado em http://www.podcastcafebrasil.com.br

Anton Bruckner: Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 – Romântica – Scherzo e Trio

Anton Bruckner (autor desconhecido)

Anton Bruckner (autor desconhecido)

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo
Stanislaw Skrowaczewski regente

Anton BRUCKNER
Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 - Romântica
- Scherzo e Trio

Gravado em novembro de 2014 na Sala São Paulo

“A Sinfonia nº 4 é marcada por ritmos formados pela sobreposição de motivos binários e ternários (às vezes chamados de brucknerianos), que remetem a danças camponesas. Foi a primeira de suas sinfonias a ser escrita em tonalidade maior e é também mais ousada harmonicamente do que suas obras anteriores. Alternando passagens em maior e em menor, além de súbitas modulações enarmônicas ou cromáticas, obtém um efeito sonoro que remete à técnica pictórica do chiaroscuro (luz e sombra).
Bruckner acrescenta à sua Sinfonia nº 4 o subtítulo programático Romântica, por alusão ao romance medieval e a sentimentos bucólicos [...].”

Trecho da nota de programa de Silvia Ocougne publicada na edição de outubro da Revista Osesp 2014.

Anton Bruckner: Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 – Romântica – Andante Quasi Allegretto

antonbruckner_200px

Anton Bruckner (autor desconhecido)

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo
Stanislaw Skrowaczewski regente

Anton BRUCKNER
Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 - Romântica
- Andante Quasi Allegretto

Gravado em novembro de 2014 na Sala São Paulo

“A Sinfonia nº 4 é marcada por ritmos formados pela sobreposição de motivos binários e ternários (às vezes chamados de brucknerianos), que remetem a danças camponesas. Foi a primeira de suas sinfonias a ser escrita em tonalidade maior e é também mais ousada harmonicamente do que suas obras anteriores. Alternando passagens em maior e em menor, além de súbitas modulações enarmônicas ou cromáticas, obtém um efeito sonoro que remete à técnica pictórica do chiaroscuro (luz e sombra).
Bruckner acrescenta à sua Sinfonia nº 4 o subtítulo programático Romântica, por alusão ao romance medieval e a sentimentos bucólicos [...].”

Trecho da nota de programa de Silvia Ocougne publicada na edição de outubro da Revista Osesp 2014.

Anton Bruckner: Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 – Romântica – Bewegt – Nicht zu Schnell

antonbruckner_200px

Anton Bruckner (autor desconhecido)

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo
Stanislaw Skrowaczewski
regente

Anton BRUCKNER
Sinfonia nº 4 em Mi Bemol Maior, WAB 104 - Romântica
- Bewegt - Nicht zu Schnell

Gravado em novembro de 2014 na Sala São Paulo
“A Sinfonia nº 4 é marcada por ritmos formados pela sobreposição de motivos binários e ternários (às vezes chamados de brucknerianos), que remetem a danças camponesas. Foi a primeira de suas sinfonias a ser escrita em tonalidade maior e é também mais ousada harmonicamente do que suas obras anteriores. Alternando passagens em maior e em menor, além de súbitas modulações enarmônicas ou cromáticas, obtém um efeito sonoro que remete à técnica pictórica do chiaroscuro (luz e sombra).
Bruckner acrescenta à sua Sinfonia nº 4 o subtítulo programático Romântica, por alusão ao romance medieval e a sentimentos bucólicos [...].”

Trecho da nota de programa de Silvia Ocougne publicada na edição de outubro da Revista Osesp 2014.

Ozéas Arantes – Vídeo

O paranaense Ozéas Arantes, primeiro trompista da Osesp, deixa neste ano a Orquestra após quase 40 anos de dedicação. O trompista, que entrou para o naipe em 1977, fala em depoimento para o Acervo Oral: “Me sinto bem quando olho pra traz e vejo que vivi a minha vida tocando música”.

O Acervo Osesp | História Oral reúne depoimentos de solistas, regentes e compositores que se apresentam com a Osesp, além de relatos de nossos próprios artistas e funcionários. São registros históricos, acessíveis gratuitamente.

Nelson Freire – Vídeo

O pianista Nelson Freire, que completou 70 anos em 2014, fala em entrevista sobre a sua vida e sobre pessoas que admira.

O Acervo Osesp | História Oral reúne depoimentos de solistas, regentes e compositores que se apresentam com a Osesp, além de relatos de nossos próprios artistas e funcionários. São registros históricos, acessíveis gratuitamente.